no ,

Operação com 100 policiais prende 38 pessoas em menos de meia-hora

Ponta Grossa

Operação contou com a participação da aeronave do Batalhão de Operações Aéreas (BPMOA)

Uma operação desencadeada na madrugada de terça-feira (25) pela Polícia Militar cumpriu simultaneamente 38 mandados de prisão e 43 mandados de busca e apreensão nas cidades de Ponta Grossa e municípios da região dos Campos Gerais. A ação foi desencadeada após investigação de que indivíduos presos em instituições prisionais de Ponta Grossa comandavam quadrilhas que realizavam crimes de roubos, tráfico de drogas, comércio de armas de fogo e homicídios.

Em um trabalho conjunto com o Ministério Público e o Poder Judiciário da Comarca de Ponta Grossa foram emitidos 40 mandados mandados de prisão e outros 43 mandados de busca e apreensão cumpridos nas cidades de Ponta Grossa, Jaguariaíva, Prudentópolis, Imbituva e Ivaí.

A operação foi denominada de Bastilha e fez alusão à queda da Cadeia de Bastilha durante a Revolução Francesa. Mais de 100 policiais militares pertencentes à região participaram da operação com 18 viaturas, um cão de faro e apoio da aeronave do Batalhão de Operações Aéreas (BPMOA) de Curitiba.

Dos 38 mandados de prisões cumpridos, 18 foram direcionados a homens que estavam presos respondendo por outros crimes e que, a partir de agora, terão sua pena aumentada. Os demais mandados foram cumpridos simultaneamente em Ponta Grossa e região, tendo como resultado a prisão de 11 mulheres e 9 homens. Informações da Polícia Militar apontam que a operação teve início às 6 horas da manhã e às 6h30 os detidos já haviam sido encaminhados à 13ª Subdivisão Policial (SDP).

Além das prisões, foram apreendidos diversos celulares, balanças de precisão, anotações referentes ao comércio de entorpecentes, além de 500 gramas de substância análoga à maconha e 36 gramas de cocaína.

De acordo com a tenente Jaíne Chaves, oficial de Comunicação Social do 1° Batalhão da PM, entre os presos estão 11 mulheres que são companheiras dos presos que comandavam as quadrilhas. “Recebmos a informação de que as mulheres eram orientadas pelos seus companheiros de dentro dos presídios e com as informações que recebiam elas davam continuidade às práticas criminosas”, disse a tenente.

A oficial destacou ainda que, em termos de cumprimentos de mandados, esta foi a maior operação realizada pelo órgão em comparação com as ações realizadas em 2019 e 2020. “Com esta operação, retiramos de circulação drogas e pessoas que, mesmo presas, continuavam a praticar os crimes. Além disso, também retiramos de circulação outros suspeitos que contribuíam para que a criminalidade tivesse continuidade, principalmente, o tráfico de drogas”, finalizou Chaves.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Preconceitos

Correios ajuízam Dissídio Coletivo no TST