no ,

Saúde monitora mais de 300 surtos de covid-19 no Paraná

Os setores frigoríficos do Paraná, que empregam cerca de 100 mil pessoas, já registraram 33 surtos de covid-19. Esses são apenas alguns dos casos que a secretaria estadual da Saúde acompanha, desde o início da pandemia do novo coronavírus. Todas as suspeitas de ocorrências de surtos da doença em ambientes de trabalho e espaços que reúnem um número maior de pessoas são monitoradas. Para a configuração de um surto é preciso o registro de pelo menos três confirmações, por teste do RT-PCR, no mesmo ambiente, em um período de 14 dias entre os casos.

Até ontem (18/8), foram registrados 309 surtos localizados, principalmente, em indústrias, estabelecimentos comerciais, instituições de saúde, instituições de longa permanência de idosos, penitenciárias, bancos, igrejas e durante encontros familiares. Os surtos no Paraná somam 8.215 casos confirmados e 89 óbitos.

O monitoramento é feito pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) da Secretaria da Saúde e apresentado ao Centro de Operações de Emergências (COE) para as medidas de alerta e de controle.

“Estamos atentos às ocorrências e mantemos contato direto com os responsáveis por estes estabelecimentos ou junto às instituições representativas dos segmentos no sentido de recomendar as medidas necessárias para o controle do surto e proteção da população”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

POR SETORES

A diretora de Atenção e Vigilância em Saúde, Maria Goretti David Lopes, explica que as informações, que chegam por meios dos municípios ou Regionais de Saúde, são confirmadas e tabuladas. “São números seguros e que usamos também como alerta para áreas que apresentam mais casos. Todos os registros são acompanhados pelas equipes de técnicos da Secretaria da Saúde. Neste momento, estão sob controle ou sendo controlados”.

No Paraná, as instituições da área da Saúde registram maior número de surtos. São cerca de 70 em hospitais, clínicas, laboratórios e farmácias, envolvendo mais de 1.100 trabalhadores infectados pelo novo coronavírus. Foram contabilizados 40 óbitos.

Na sequência, estão as indústrias, que apresentam 55 surtos, em várias áreas, como de maquinários, motores, alimentos, compensados, cimento, papel e roupas. As agroindústrias são alvo de muita atenção da Secretaria da Saúde e do monitoramento, com 13 surtos nos segmentos de laticínios e processamento de grãos.

FRIGORÍFICOS

O setor dos frigoríficos, que emprega cerca de 100 mil pessoas no Paraná, já teve 33 surtos. A Secretaria da Saúde já publicou Resolução (944/2020) e Nota Orientativa (31/2020) específicos e promoveu várias videoconferências com o segmento para discutir e implantar ações e planos de contingência nas áreas que as empresas frigoríficas estão instaladas.

Entre as principais orientações, constam a indicação de cumprimento de normas do uso de equipamentos de proteção individual, afastamento dos trabalhadores durante a atividade laboral e a conduta a ser cumprida quando ocorrerem suspeitas ou casos confirmados.

OUTROS SETORES

O comércio em geral aponta 13 surtos, agências bancárias oito, restaurantes sete, supermercados quatro e igrejas três. Outros locais como salão de beleza, academia, alojamento, escritórios de contabilidade e empresas da área da informática também apresentaram surtos da Covid-19.

Entre as instituições que registram mais ocorrências estão os asilos (Instituições de Longa Permanência de Idosos) com 23 surtos, e as unidades prisionais, com 11.

REGIÕES

Na soma geral, as regiões com maior número de surtos são: Cascavel, com 64 ocorrências; Curitiba com 27; de Foz do Iguaçu, com 24; Cornélio Procópio com 22; Toledo com 21 e as regiões de Francisco Beltrão e de Maringá com 20 surtos cada.

O levantamento do CIEVS indica que os encontros familiares representam fator de risco para a contaminação e disseminação do vírus. “Cinco municípios registram surtos decorrentes de festas e eventos em família, com 77 confirmações e três óbitos pela Covid-19”, relatou a responsável pelo CIEVS, Paula Linder.

ORIENTAÇÕES

Diante de cada surto registrado, a Secretaria da Saúde faz o monitoramento dos casos e adota as medidas de contenção, realizando testes nas pessoas próximas, suspeitas e confirmadas, além de acompanhamento dos casos.

“Além disso, por meio do COE, a Secretaria emite informações adequadas e seguras de prevenção e cuidados também pelas Notas Orientativas. São 44 no total, que divulgam as boas práticas a serem adotadas em ambientes laborais e de convívio”, explicou a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde, Maria Goretti.

As notas informam tanto os responsáveis pelos vários segmentos afetados, como profissionais da área e a população em geral, e são atualizadas conforme o desenvolvimento da situação. “Além disso, empresa, estabelecimento ou instituição envolvida pode e deve incrementar as ações baseando-se em avaliações de riscos, transmissibilidade do momento e recursos disponíveis”, complementou.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Makita projeta investir R$ 500 mi em Ponta Grossa em cinco anos

Saúde confirma 26° e 27° óbito por covid-19 nesta terça-feira