no ,

Rodoviária de Ponta Grossa reabre com medidas especiais e linhas reduzidas

Empresas investiram em materiais para proporcionar mais segurança aos passageiros e funcionários

A rodoviária de Ponta Grossa reabriu nesta segunda-feira (17) após ficar quase cinco meses fechada devido à pandemia do novo coronavírus. Segundo a assessoria de imprensa da Autarquia Municipal de Trânsito (AMTT), dezessete das dezoito empresas que operam no terminal de transporte intermunicipal estão atendendo o público – e todas elas devem seguir medidas especiais, divulgadas na semana passada.

Na última terça-feira (11) a Prefeitura de Ponta Grossa publicou o Decreto 17.608, que autoriza a reabertura do local, mas determina algumas medidas que devem ser seguidas pelas empresas. A empresa que não cumprir terá a sua concessão de operação suspensa temporariamente.

Entre elas, além de evitar aglomerações e higienizar veículos e utensílios, estão a aferição de temperatura dos passageiros que embarcam e que desembarcam, desembarcar passageiros apenas na rodoviária, “para que as normas de controle sejam efetivas e atendidas”, e fornecer à autoridade sanitária municipal nome, endereço, telefone e procedência de cada passageiro que desembarcar, devendo o histórico ser arquivado por pelo menos 30 dias.

A reportagem do DCmais esteve na rodoviária na manhã desta segunda-feira (17) para acompanhar a retomada da operação e também constatou que para comprar passagens nos guichês de atendimento só é permitida a entrada de uma pessoa por família, sem acompanhante, e que a entrada é feita por senhas, podendo adentrar, ao mesmo tempo, apenas duas pessoas por guichê.

Linhas reduzidas

O DC também conversou com três das maiores empresas que atuam na cidade para conferir como as viagens estão sendo ofertadas. A Viação Iapó afirmou que dos seis horários diários comumente disponibilizados entre Ponta Grossa e Carambeí manteve três. As quinze viagens diárias para Castro foram suspensas completamente, devido ao decreto municipal que proíbe a circulação de ônibus intermunicipais na cidade próxima à Ponta Grossa.

José Aldinan.

O Expresso Princesa dos Campos disse que o seu movimento operacional, ou seja, de trajetos ofertados e horários, reduziu em torno de 60%, mas não especificou por região – segundo a empresa, o seu movimento de passageiros corresponde de 35% a 40% da demanda antes da pandemia.

Garantindo seguir todos os protocolos de segurança exigidos tanto pela Prefeitura de Ponta Grossa, quanto pelo Departamento de Estradas e Rodagem do Paraná (DER/PR), a Princesa dos Campos também destaca que investiu em material indicativo para o distanciamento necessário e informativos de medidas de prevenção, além de utilizar geradores de ozônio na higienização dos ônibus.

Já a Viação Garcia afirmou que chegou a reduzir a sua operação em mais de 90% em abril e no mês de junho evoluiu para cerca de 33% das operações, também sem especificar regionalmente. Entre as medidas do protocolo de limpeza, a empresa destacou a aplicação de ozônio, pulverização de quaternário de amônia e desinfecção por nanopartículas.

“As cortinas de proteção individual, lavadas e esterilizadas a cada viagem, assim como todas as peças de uso interno, foram uma inovação do Grupo para oferecer mais conforto e tranquilidade aos passageiros”, contou a assessoria de imprensa da Viação Garcia, afirmando também que além da demarcação para distanciamento físico no embarque são utilizados tapetes higiênicos com soluções desinfetantes e sanitizantes para limpeza dos sapatos, entre outros.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Ponta Grossa registra 90 casos de covid-19 em 24 horas

Projeto de lei para proteção ao Aeroporto Sant’Ana é aprovado pela Câmara