no ,

HC se torna hospital materno-infantil a partir de amanhã

A partir desta quinta, o Hospital da Criança Prefeito João Vargas de Oliveira torna-se especializado em atendimento materno-infantil. A unidade passa a contar com mais 32 leitos de maternidade e mais cinco de observação e procedimentos. Dentro de alguns dias, começam a funcionar também os 30 leitos pediátricos e 10 leitos de UTI neonatal e pediátrica.

Por alguns meses, a casa hospitalar passou por readequações para receber a Maternidade transferida do Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais. Com isso, o HU ganhará mais 26 leitos clínicos para atendimento de pacientes com covid-19, chegando a 50.

Na manhã de hoje (19), o governador Carlos Massa Ratinho Junior esteve em Ponta Grossa e formalizou a migração para a nova unidade, juntamente com o Governo Municipal e a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

Durante a visita, Ratinho garantiu que o Estado está programando R$ 9 milhões, cerca de R$ 2,2 milhões por mês, até dezembro para a manutenção dos atendimentos da Maternidade no Hospital da Criança. A ideia, de acordo com o governador, é de que o convênio permaneça para o próximo ano.

Na Maternidade deverão ser realizados cerca de 240 procedimentos por mês, entre partos normais, partos cirúrgicos e outros atendimentos obstétricos. A transferência não prejudica os serviços já prestados pelo HC, onde continua a funcionar o Pronto Atendimento Infantil (PAI).

Os profissionais do HU foram cedidos para atuação nos setores materno-infantis. Dentre as especialidades que passam a trabalhar no HC, estão os médicos obstetras, pediatras, radiologistas e anestesiologistas, e também profissionais nas áreas de enfermagem, farmácia, nutrição, fonoaudiologia, fisioterapia, psicologia, odontologia e serviço social.

Para viabilizar a transposição, foram realizadas melhorias na estrutura do Hospital da Criança, através da Associação dos Amigos do Hospital da Criança (AAHC), com recursos de pessoas físicas, empresas à exemplo da DAF Caminhões que custeou uma das enfermarias com 22 leitos, no valor de R$ 350 mil, e o Ministério Público Federal (MPF) que custeou as obras de outros 14 leitos com investimentos de R$ 1,7 milhões.

Enquanto esteve em Ponta Grossa, o governador concedeu entrevista coletiva aos jornalistas em que estiveram presentes. Entre as questões abordadas, sobre a abertura de mais leitos de UTI Covid-19 para o Hospital Universitário, além dos 26 clínicos já existentes, Ratinho Jr destacou que estuda a possibilidade de remanejar novos equipamentos de outros hospitais do estado para a instalação de mais UTI’S no HU.

“Estamos estudando a possibilidade, pois em algumas regiões em que a situação estava mais difícil e agora com a curva reduzindo, podemos viabilizar os equipamentos e a estrutura necessária para a implantação de mais leitos de UTI. Tivemos um crescimento dos casos de covid-19 em Ponta Grossa maior que outras regiões, mas não podemos pensar somente em uma cidade. É um planejamento regional e tudo isso precisa ser pensado. Com o remanejamento da Maternidade, uma ala do Hospital Universitário ficou livre e nos possibilita essa ampliação”, disse o governador.

Para o governador, é muito importante que o Hospital da Criança tenha se tornado um ambiente agradável atendimento das crianças. “O HC tornou-se um hospital muito agradável e isso é algo que revoluciona a saúde e é isso que Ponta Grossa vem fazendo. Além de preservar as crianças em um ambiente só, com mais segurança. Estou muito feliz em participar desse momento histórico”, destacou Ratinho.

Para o presidente da Associação dos Amigos do HC, Nelson Canabarro, o apoio de empresas e da sociedade como um todo contribuiu muito para a melhoria dos serviços do hospital. “Conseguimos melhorar os serviços do hospital e transformamos as enfermarias em quartos para crianças para que elas não tenham impactos negativos”, apontou.

“Desde 2013, o Hospital da Criança não tinha condições de dar continuidade aos serviços. Ainda na mesma época, Ponta Grossa não contava com leitos de UTI pediátrica. Tínhamos que mandar as crianças para Curitiba. E hoje eu vejo tudo o que conquistamos nos últimos anos”, lembrou.

Participaram da solenidade o secretário estadual da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex; o diretor-presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin; o reitor da UEPG, Miguel Sanches Neto; o presidente da Associação Amigos do Hospital da Criança, Nelson Canabarro; o prefeito de Ponta Grossa, Marcelo Rangel e o deputado estadual Hussein Bakri.

UPA

Ratinho Jr aproveitou ainda para visitar o prédio em que abrigará a chamada UPA Santana que está localizado na região central de Ponta Grossa e possui 2.215 metros quadrados. No local funcionava a antiga maternidade Santana Unimed. O imóvel que pertencia ao governo do Estado foi cedido à Prefeitura de Ponta Grossa.

Equipes da Companhia Pontagrossense de Serviços (CPS) realizam os primeiros trabalhos de readequação do imóvel como a demolição de algumas paredes, higienização de ambientes e algumas pinturas.

Já todo o trabalho de reestruturação do imóvel ficará sob a responsabilidade do Rotary Club Ponta Grossa Lagoa Dourada. Os recursos para as obras são na ordem de aproximadamente R$ 1,4 milhões e serão disponibilizados pela Justiça Federal após uma ação na área da saúde.

A compra de equipamentos e insumos para a estruturação do local serão com recursos próprios da prefeitura. A entrega, de acordo com o prefeito Marcelo Rangel, deverá ocorrer em até quatro meses. A previsão é atender até 400 pessoas por dia.

Licitação para o Condomínio do Idoso será assinado nos próximos dias

Na próxima semana, o Governo do Estado, através da Companhia de Habitação o Paraná (Cohapar), deverá assinar o processo licitatório para a construção do Condomínio do Idoso em Ponta Grossa junto à Prefeteitura Municipal. A assinatura estava prevista para ocorrer durante a visita do governador Ratinho Jr na manhã de quarta, mas não ocorreu. De acordo com a Cohapar, ainda são necessárias solucionar questões documentais internas para que possa ocorrer a licitação que prevê a contratação de empresa responsável pelas obras. Os impasses, de acordo com o órgão, deverá ser resolvido nos próximos dias.

O residencial destinado a atender pessoas com mais de 60 anos poderá beneficiar até 80 idosos em Ponta Grossa. O condomínio voltado para a terceira idade será construído no Parque dos Sabiás e terá 40 moradias que serão construídas dentro do Programa Viver Mais Paraná, do governo do Estado, para atender a população de baixa renda. O investimento previsto pelo Estado é de R$ 5 milhões.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Justiça bloqueia bens de ex-prefeito de Carambeí beneficiado por doações irregulares de imóveis

Agência do Trabalhador anuncia novas vagas para Ponta Grossa para esta quinta-feira (20)