no

Carlos Garletti mantém planos de alcançar Paralimpíadas em 2021

Pandemia atrapalha planejamento, mas ponta-grossense almeja vaga

Ponta-grossense já representou o Brasil em três Jogos Paralímpicos. Foto: Arquivo Pessoal

A pandemia influenciou tanto o esporte amador quanto o profissional e sequer diferenciou pequenas ou grandes competições. Um exemplo claro é o ponta-grossense Carlos Garletti, que compete no tiro esportivo. Representante do país em três Jogos Paralímpicos, ele ainda não sabe se conseguirá um lugar em Tóquio 2021.

A primeira situação é que Garletti não alcançou a vaga para a competição, mas teria ao menos duas chances pela frente. “Temos uma etapa da Copa do Mundo nos Emirados Árabes e uma etapa do Mundial em Lima, no Peru”, pontua.

Porém, por conta da pandemia da covid-19, o atirador não sabe quando as competições ocorrerão e se, de fato, vão acontecer. “Existem datas marcadas, mas nada confirmado”, relata. A expectativa é que os dois eventos sejam realizados somente no ano que vem entre os meses de março e maio, mas sem oficialização dos organizadores.

Pelas incertezas proporcionadas e com o risco do coronavírus, o paratleta não esconde que diminuiu a intensidade das atividades. “Estou treinando bem de leve. Não vale a pena ficar se matando sem ter algo confirmado”, comenta Garletti, que leva o tiro esportivo ao lado da real profissão: médico oftalmologista.

Foi assim que ele competiu pelo país em Pequim (2008), Londres (2012) e Rio de Janeiro (2016). Mais recente no currículo, em 2019, o atirador conquistou a medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos (categoria SH1 em 50 metros) em Lima, no Peru. Na época, o ponta-grossense disse que conseguiu um feito até maior do que o esperado diante de uma prova que apresentou dificuldades climáticas.

No Rio, há quatro anos, Garletti terminou a prova da Carabina 50m deitado mista – SH1 – na 35ª colocação, com 599,3 pontos. Mesma posição da competição de 10 metros, em que somou 623,2 pontos.

Outro feito dele foi ter participado em 2008, na China. Naquela oportunidade, ele encerrou um jejum de 32 anos sem participações brasileiras na modalidade.

Olimpíadas e Paralimpíadas

Os Jogos Olímpicos 2020, em Tóquio, foram adiados pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) ainda em março, quando o coronavírus atingia em grandes proporções os continentes asiático e europeu. Depois de dias sem estabelecer datas, a entidade definiu que a competição terá início no dia 23 de julho de 2021 e término em 8 de agosto.

Já as Paralimpiadas, que estão na ambição de Carlos Garletti, começam em 24 de agosto e seguem até 5 de setembro na capital japonesa. O Comitê Olímpico ainda discute como os eventos irão ocorrer de forma segura, pois o término da pandemia é incerto.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Polícia indicia quatro por morte de motorista de aplicativo

Carambeí escolherá entre cinco nomes: Marinho (PSD), Elisângela (PSB), Pedro Ivo (PROS), Rickli (PSDB) e Patrícia (Avante)