no

Capal completa 60 anos com mais de 3,2 mil associados e expectativa do maior faturamento da história

Cooperativa vivenciou todos os processos de desenvolvimento no segmento agropecuário brasileiro, investindo em tecnologia, infraestrutura e gestão, o que pode ocasionar aumento de mais de 35% do faturamento em 2020, comparado ao mesmo período do ano passado

Capal/divulgação

Um grupo de 21 produtores rurais holandeses começou em 1960 o que hoje é a Capal Cooperativa Agroindustrial, antes denominada Cooperativa Agro Pecuária Arapoti Ltda. (Capal). A cooperativa, que completa 60 anos em 19 de setembro, surgiu cinco anos depois de Arapoti se tornar município no Paraná, sendo a base para o desenvolvimento local e regional, com investimento em tecnologia, aumento de produtividade, gestão e infraestrutura e a diversificação da produção.

O gado leiteiro, o cultivo de grãos e proteína animal geraram quantidade e qualidade aos resultados. Atualmente, a Capal espera ter aumento de 35% no faturamento, comparado a 2019 (que chegou a mais de R$ 1,4 bilhão), resultado alcançado pelos mais de 3,2 mil associados nos estados do Paraná e de São Paulo.

“Quando os imigrantes vieram para o Brasil, eles constituíram a cooperativa para que formássemos o tripé, os três pilares que tínhamos na comunidade: a igreja, a escola e a própria cooperativa. Sessenta anos depois, podemos afirmar com toda a certeza que foi atingido o objetivo para o qual ela foi criada. Está situada entre as maiores do Brasil. Quero parabenizar todos os cooperados e colaboradores que estiveram conosco nos bons momentos e nos períodos de dificuldade, sempre lutando pelos melhores resultados”, afirmou Erik Bosch, Presidente do Conselho de Administração da Capal.

Nessas seis décadas, a cooperativa viu saltos significativos na forma de se produzir alimentos. No leite, a produtividade conquistou ao longo da história sucessivos acréscimos. A genética apresentou uma elevação, com a escolha do material, que se somou a um manejo eficiente, alimentação de qualidade e bem-estar animal. Atualmente, os associados produzem 131 milhões de litros de leite por ano.

Entre os motivos para essa evolução está a Expoleite, feira com grande relevância no cenário pecuário nacional, por ser uma vitrine para a exposição dos melhores animais, em que ocorrem julgamentos, palestras e troca de experiências. O gado da raça holandesa tem um espaço para ser analisado e comparado, o que motiva seu aumento produtivo.

Mais recentemente, os cooperados da Capal tiveram acesso ao Catálogo de Touros da Intercooperação, que garante uma seleção das melhores genéticas do mercado. Além disso, como forma de impulsionar a sucessão e a paixão nas crianças, anualmente, dezenas delas participam do Clube de Bezerras, expondo os cuidados com os animais e as formas de manejo.

Lucas Salomons foi presidente da Capal entre os anos de 1974 e 1983. Ele se recorda das várias dificuldades por que passou. “À época em que fui presidente foi muito difícil, principalmente devido aos recursos financeiros. Mas, com fé em Deus, conseguimos tocá-la e me orgulho ao ver o tamanho que ela está. Acho muito bom o trabalho que a cooperativa está realizando, se expandindo em áreas onde há pequenos produtores, visando o lado social da cooperativa, em que leva desenvolvimento para o pequeno também”.

Os associados também puderam ver o surgimento do plantio direto, considerada uma revolução da produção agrícola. Com um solo rico em nutrientes, reduzindo erosões, a rotação de cultura otimizou a força do agro. Soja, milho, trigo, feijão entre outras culturas garantem sucesso ao produtor. Na última safra, foram contabilizados 147 mil hectares assistidos, gerando 370 mil toneladas de soja, 110 mil toneladas de milho e mais de 170 mil sacas de café. Ao todo, em 2020, serão 730 mil toneladas de grãos colhidos pelos cooperados e entregues nos seus armazéns da Cooperativa.

Assim, a produção pode ser comercializada a granel e uma parte vai para a fábrica de ração. Os produtores geraram cerca de 31 mil toneladas de carne suína. Já o consumo de ração ultrapassa 200 mil toneladas.

Industrialização

“Gostaria de parabenizar a nossa cooperativa pelos seus 60 anos. Estou junto da cooperativa há 12 anos, quando fui o primeiro agricultor da região de Buri a ingressar na unidade de Taquarivaí (SP). Todas as cooperativas do Paraná são exemplos para o Brasil, e a Capal não é diferente disso. Minha alegria em cumprimentar todos os cooperados, novos e mais antigos, por esses 60 anos”, destaca o cooperado Frederico D’Ávila.

A história da cooperativa também foi motivada pela verticalização da produção. Não bastava apenas produzir na terra, mas, sim, causar transformação do que é produzido. Nesse sentido, a Capal seguiu dois caminhos: marcas próprias e a intercooperação. No primeiro, a cooperativa atua com as marcas de ração – para cães, bovinos leiteiro e de corte, suínos, aves e suplementos – e sementes. Esta teve um ganho especial em 2019 com a aquisição de uma Unidade de Beneficiamento de Sementes (UBS) em Wenceslau Braz (PR). A marca de sementes, agora, está com embalagens e logomarca reformuladas.

Essa aquisição se juntou, também em 2019, ao movimento de assumir o controle de duas cafeeiras no município de Pinhalão, também no Paraná. A cooperativa comercializa as marcas próprias Robusto e Jucafé. Somado a isso, a Capal administra um posto de combustível, 18 lojas agropecuárias, unidades de recepção e secagem e um TRR (Transportador, Revendedor e Retalhista de combustível), que saltou de 60 mil litros de capacidade para 240 mil litros este ano.

Com o selo Unium, pelo sistema de intercooperação com a Frísia e a Castrolanda, a Capal também industrializa e comercializa produtos lácteos (marcas Colônia Holandesa, Colaso e Naturalle), de trigo (Herança Holandesa e Precisa) e carne suína (Alegra), com unidades em Ponta Grossa (PR), Castro (PR) e Itapetininga (SP).

Adilson Fuga, presidente-executivo da Capal, destaca os resultados obtidos. “Quero parabenizar a cooperativa pelos seus 60 anos, mas dar especiais parabéns a todos os nossos colaboradores, cooperados e, principalmente, aos fundadores da cooperativa. É um momento de muita felicidade. A cooperativa vem se desenvolvendo muito nos últimos anos. De 1985 a 1995, a Capal tinha três negócios e, hoje, temos mais de 20. A cooperativa vive um momento diferente, de grande expansão, e é fruto de um grandioso trabalho de todos nós”.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Caixa abre 5 agências em Ponta Grossa e região neste sábado

Setor empresarial de Ponta Grossa irá ouvir candidatos e sugerir propostas