no ,

Veja 7 boas notícias sobre a covid-19

Com o avanço da pandemia do novo coronavírus, o mundo está quase inteiramente voltado para essa tragédia global. No entanto, mesmo em meio a todas as notícias preocupantes, há razões para ter esperanças. Em um trabalho de curadoria, o Diário dos Campos reuniu sete boas notícias. Confira:

1 – BioNTech compra laboratório da Novartis para elevar produção de vacina

A alemã BioNTech, que produz uma potencial vacina contra a covid-19 com a norte-americana Pfizer, disse em comunicado nesta quinta-feira (17) que assinou a compra de um laboratório da Novartis, empresa do ramo farmacêutico. A aquisição, segundo a BioNTech, servirá para a companhia de biotecnologia ampliar a produção de vacinas para um total de 750 milhões de doses ao ano. A vacina, denominada BNT162b2, está na terceira fases de testes clínicos, que analisam a sua eficácia. A BioNTech disse que deve ser capaz de produzir até 250 milhões de doses no primeiro semestre de 2021.

Fonte: Estadão Conteúdo com informações da Dow Jones Newswires. Publicado em 18 de setembro.

2 – Mais de 170 países aderiram ao programa de vacinas contra covid-19

O diretor geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreysus, informou nesta quinta-feira (17) que mais de 170 países aderiram ao Covax – programa de aceleração e alocação global de recursos contra o novo coronavírus co-liderada pela OMS que visa impulsionar o desenvolvimento de vacinas para combater a pandemia de covid-19 e ajudar na produção e distribuição dos medicamentos mais eficazes assim que disponívei. A iniciativa tem como objetivo tornar amplo e fácil o acesso à eventuais vacinas para o novo coronavírus, para evitar que guerras por patentes e uma disputa econômica acirrada prejudiquem a chegada do medicamento a países mais pobres.

Fonte: Agência Brasil. Publicado em 17 de setembro.

3 – Governo zera imposto de importação de vacinas contra covid-19

O Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior, ligada ao Ministério da Economia, publicou nesta quinta-feira (17) resolução que concede redução temporária para zero da alíquota do imposto de importação de vacinas contra a covid-19 e outros produtos relacionados ao combate ao novo coronavírus. De acordo com a resolução, o objetivo é “facilitar o combate à pandemia” de covid-19.

Fonte: Agência Brasil. Publicado em 17 de setembro.

4 – Brasil terá maior fábrica de vacinas da América Latina

A Fundação Oswaldo Cruz e a Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin) assinaram nesta quinta-feira (17) acordo para instalação da maior fábrica de vacinas da América Latina. O Complexo Industrial de Biotecnologia em Saúde vai ocupar uma área de 580 mil metros quadrados e terá capacidade de produção de 120 milhões de frascos de vacinas e biofármacos por ano e será instalada em Santa Cruz, na zona oeste do Rio de Janeiro. O acordo prevê a construção de nove prédios e a inauguração está prevista para 2023. O complexo será responsável por toda produção de vacinas da Fiocruz, inclusive a de covid-19, quando esta for aprovada.

Fonte: Agência Brasil. Publicado em 17 de setembro.

5 – Pesquisadores brasileiros estudam proteínas do Sars-CoV2

Uma equipe de cientistas da Universidade de São Paulo (USP) está analisando mais de 200 amostras de cristais de proteínas de Sars-Cov-2, buscando, com o acelerador de partículas, o Sirius, elucidar as estruturas moleculares fundamentais para o ciclo de vida do vírus.

De acordo com o centro, o objetivo dos pesquisadores é compreender os mecanismos de ligação dessas proteínas a substâncias que podem inibir suas atividades, interferindo no ciclo de vida do vírus, o que possibilitaria a criação de novos medicamentos antivirais de ação direta.

Fonte: Agência Brasil. Publicado em 16 de setembro.

6 – Butantan vai ampliar fábrica para produzir vacina contra covid-19

O Instituto Butantan vai iniciar, em novembro deste ano, obras em sua fábrica para ampliação da capacidade de produção de vacinas. A expectativa do governo paulista é que as obras estejam prontas a partir de setembro do ano que vem. O local ficará inicialmente voltado para a produção da vacina contra o novo coronavírus, fruto de uma parceria entre o Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac, mas futuramente poderá fabricar outros tipos de imunizantes. Com a ampliação, o Butantan poderá produzir mais de 100 milhões de doses da CoronaVac por ano, a partir de 2022.

Fonte: Agência Brasil. Publicado em 14 de setembro.

7 – Testes com vacina de Oxford recomeçam no Brasil

A farmacêutica AstraZeneca retomou nesta segunda-feira (14) os testes da vacina contra a covid-19, conhecida como vacina de Oxford, no Brasil. O sinal verde foi dado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Em testes também em outros países, as vacinações na fase 3 do estudo foram suspensas na última terça-feira (8) devido a uma reação relatada por uma voluntária no Reino Unido. Na semana passada a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) assinou o contrato de Encomenda Tecnológica (Etec) com a AstraZeneca. A Etec garante ao instituto o acesso a 100,4 milhões de doses do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) para o processamento final (formulação, envase, rotulagem e embalagem) e controle de qualidade.

Fonte: Agência Brasil. Publicado em 14 de setembro.

Naiâne Jagnow é estudante do último ano de Jornalismo na Unisecal e estagiária regulamentada do Diário dos Campos. A produção deste conteúdo foi supervisionada pelo editor-chefe Walter Téle Menechinio.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Operário consegue empate com a Ponte Preta e está na cola do ‘G4’

Férias em dobro