no , ,

Confira seis boas notícias sobre os avanços científicos no combate à covid-19

Por enquanto, o método mais eficaz no combate contra o novo coronavírus ainda é a prevenção. Porém, cientistas e profissionais de saúde avançam na linha de frente. Em um trabalho de curadoria, o Diário dos Campos reuniu seis boas notícias, confira:

1 – Já são 35 vacinas contra covid-19 com testes em humanos

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que há cerca de 180 vacinas contra a covid-19 em desenvolvimento, sendo que 35 delas já estão na fase de testes em humanos. Ele comentou que nenhuma doença na história teve um desenvolvimento tão rápido nas pesquisas. Ghebreyesus lembrou também que há várias pesquisas de medicamentos em andamento e disse que a dexametasona foi o único até agora a se mostrar eficaz contra a doença nesses testes, neste caso para pacientes mais graves.

Fonte: Estadão Conteúdo. Publicado em: 10 de setembro.

2 – Sinovac chinesa diz ter resultados ‘promissores’ em pessoas mais velhas

A companhia chinesa Sinovac divulgou informações sobre os estudos de fases 1 e 2 de sua candidata a vacina para covid-19. A empresa diz que houve “resultados promissores, especialmente em voluntários mais velhos”, segundo o executivo-chefe da companhia, Weidong Yin. Não houve efeito colateral sério nos testes, diz a empresa. Essa vacina também está sendo testada no Brasil, em parceria com o Instituto Butantan.

Fonte: Estadão Conteúdo. Publicado em: 10 de setembro.

3- Eficácia da Coronavac deve ser avaliada em outubro, segundo Butantan

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que o ensaio clínico de fase 3 com a vacina chinesa ‘Coronavac’ está evoluindo rapidamente no Brasil, sem qualquer intercorrência registrada até o momento. A expectativa é que até o fim de setembro todos os 8.870 voluntários já tenham recebido as duas doses do imunizante e que a análise da eficácia tenha início em meados de outubro. De acordo com Covas, caso a eficácia seja comprovada, a vacina deve ser registrada pela Anvisa para posteriormente ser disponilibilizada para o Ministério da Saúde. A expectativa é que em dezembro tenham 46 milhões de doses disponíveis para dar início ao programa de imunização.

Fonte: Galileu. Publicado em: 9 de setembro.

4– Mesmo com pausa, AstraZeneca diz que vacina ficará pronta em 2020

O presidente da farmacêutica AstraZeneca, Pascal Soriot, afirmou que o ensaio clínico da vacina feita em parceria com a Universidade de Oxford pode ser completada ainda em 2020. Os testes foram interrompidos após uma mulher apresentar inflamação da espinha, os cientistas investigam se há relação da doença com a vacina. Oxford emitiu uma nota afirmando que a pausa “é uma ação rotineira que deve acontecer sempre que houver uma doença inexplicada em um dos estudos” e ainda salientou que isso garante “a manutenção da integridade dos testes”.

Fonte: Folha de São Paulo. Publicado em: 10 de setembro.

5 – Vacina da tuberculose será testada no Brasil contra covid-19

Alvo de estudos em outros países, a vacina contra o bacilo Calmette-Guérin (BCG), que protege contra tuberculose, vai começar a ser estudada no Brasil a partir do próximo mês como uma estratégia de proteção contra a covid-19. O imunizante é aplicado obrigatoriamente no País desde 1976. Os testes serão feitos com profissionais que atuam na linha de frente no combate à doença. A proposta é avaliar os efeitos da vacina em 10 mil voluntários, dos quais 3 mil serão brasileiros. Os demais serão da Austrália, do Reino Unido, da Espanha e da Holanda. O estudo será realizado pela Fiocruz em parceria com o Murdoch Children’s Research Institute, da Austrália, com financiamento da Fundação Bill e Melinda Gates. A vacina pode se tornar uma opção enquanto o imunizante específico para evitar a doença não é lançado.

Fonte: Estadão Conteúdo. Publicado em: 10 de setembro.

6 – Brasil será incluído em testes de mais uma vacina contra a Covid-19

A Dasa e a Covaxx, uma divisão da americana United Biomedical que tem trabalhado em uma eventual vacina contra a covid-19, se juntarão em testes das fases II e III. Além disso, a empresa brasileira doará R$ 15 milhões ao desenvolvimento da imunização. Pelo menos 3 mil voluntários do Brasil devem ser recrutados paras os estudos clínicos.

Fonte: Estadão Conteúdo. Publicado em: 9 de setembro.

Reportagem produzida pela estudante do último ano de Jornalismo da Unisecal, Naiâne Jagnow, estagiária regulamentada do Diário dos Campos sob supervisão do editor-chefe Walter Téle Menechino.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

PRF prende em Ponta Grossa motorista com 95 quilos de droga

Quase 60% dos demitidos optam por reintegração à VCG