no , ,

Região tem segunda melhor alta mensal na arrecadação federal

Desde o início da pandemia, julho foi o primeiro mês com aumento no total de impostos pagos à Receita Federal na região de Ponta Grossa

A Receita Federal divulgou nesta quinta-feira (20) os dados da sua arrecadação de julho, que soma a os impostos fazendários e as contribuições previdenciárias – e, portanto, traça um panorama de uma parte da movimentação econômica do país. A delegacia regional de Ponta Grossa, que abrange 62 municípios, somou R$ 403,86 milhões no mês, 3,7% a mais que em julho de 2019 – descontada a inflação do período (IPCA) o aumento real é de 1,4%.

Este foi o segundo melhor resultado do estado, atrás apenas da delegacia que representa a região de Maringá (+4,69% real). Cascavel, em terceiro lugar, teve um crescimento real de 0,61% e as delegacias de Curitiba e Londrina apresentaram retração mensal.

Apesar de julho ter sido o primeiro mês com variação positiva real desde janeiro, para o delegado regional da Receita Federal, Demetrius de Moura Soares, ainda é prematuro dizer que o resultado aponta uma recuperação econômica. “Alguns dos tributos que tinham sido adiados no início da pandemia começaram a ser pagos em julho, como por exemplo o Simples Nacional. Outro fato que pode ter impactado este desempenho foi a prorrogação dos prazos do imposto de renda”, lembrou o gestor.

Para ele, o cenário econômico ainda é bastante crítico devido a outros indicadores. “A produção industrial do Paraná sofreu um recuo de 6,8% em junho, mês que reflete na arrecadação de julho, e a massa salarial do Brasil diminuiu 10% no mesmo período”, citou ele à reportagem do Diário dos Campos.

“Mas há uma notícia boa no Paraná: o aumento de 9% na venda de bens, mostrando que de fato a venda no atacado impactou positivamente na arrecadação. Tivemos altas mensais no PIS e Cofins, mas ainda temos a produção industrial patinando com uma queda bem significativa”, disse Soares, referindo-se à arrecadação do IPI, que incide sofre a saída de produtos industriais das fábricas e diminuiu 43% em julho de 2020 comparado a 2019, enquanto que em junho essa diferença entre anos era menor, de -24,6%.

Acumulado do ano

No acumulado do ano a tendência em todo o Paraná ainda é de queda, ante o mesmo período de 2019. Na região de Ponta Grossa a arrecadação federal soma R$ 2,43 bilhões, 11,3% a menos do que os R$ 2,74 bilhões dos sete primeiros meses do ano passado.

Inversamente ao resultado de julho, este desempenho de 2020 é o segundo pior do estado, melhor apenas que o de Londrina (-13,6%). Analisando este período, a região que menos sofreu neste ano foi a de Cascavel (-6,8%), seguida de Maringá (-9,4%) e Curitiba (-10%).

Tributos

Os impostos recolhidos pela Receita Federal integram a arrecadação fazendária e as contribuições previdenciárias, como imposto de renda (pessoas física e jurídica e retido na fonte), Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), Programa de Integração Social (PIS) e Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Agência do Trabalhador anuncia novas vagas para Ponta Grossa para esta sexta-feira (21)

Ponta Grossa tem 54 novos casos de covid-19 nesta quinta-feira